Maria das Graças Semprini de Abreu
Maria das Graças Semprini de Abreu Rio de Janeiro - RJ
Deferida Juiz Individual Edição I - 2004
abrir/fechar todas
  • Identificação da prática

    • Descrição resumida

      O método sentencial dialético-hegeliano é uma prática ligada à forma de exame do processo, feita pelo Juiz ao proferir a decisão. Ocupa-se da lide como uma construção dialética, através de teses, antíteses e sínteses que se sucedem. A função máxima do Juiz – sentenciar – com seu reconhecido desgaste, é atenuada com a técnica ora apresentada, em consonância com o quadro sentencial dialético constante da correspondência em adendo. À simplicidade do método, corresponde a clareza do raciocínio dialético. O aprofundamento das questões postas é um estímulo ao estudo, com a manutenção da qualidade da decisão a ser proferida. A técnica consiste numa maneira de ver a lide de uma forma bem mais objetiva, facilitando o exame de cada item em discussão, e principalmente proporcionando uma visão conjunta das diversas facetas do litígio, como demonstrado no material em anexo.

  • Detalhamento da Prática

    • Benefícios almejados com a prática

      Submetidos a um trabalho sem limites, os Juizes, especialmente os das grandes Cidades, tendem a se tornar verdadeiras “máquinas de prolatar sentenças”. Esta situação os torna pessoas diferentes: sem tempo para a família, vida social, ou qualquer outra atividade fora do trabalho. A necessidade de manter a qualidade do serviço neste “mar de processos” (muitas vezes mais de 2500 para serem resolvidos em 365 dias do ano) vem sistematicamente fragilizando a saúde dos |Magistrados. A prática de gestão a ser utilizada é o maior apoio aos julgadores, evitando que sejam obrigados a parar de trabalhar cedo, desperdiçando todo o investimento que a sociedade fez nestes estudiosos do Direito. A técnica sentencial dialético-hegeliana auxilia não só o trabalho do Juiz diretamente, mas ainda pode ser usado por assessores que, bem preparados, poderão ser úteis auxiliares. Isto porque a técnica é de aprendizado relativamente fácil. (texto na integra em anexo)

    • Benefícios alcançados com a prática

      Os advogados sabem que pior do que sentença atrasada é a sentença dada sem rigor, tratando igualmente situações desiguais, criadas por um profissional desatento. Se fosse possível julgar fora do âmbito restrito do tradicional ser humano, alguém já teria feito “o programa de computador milionário”. Por enquanto, o que temos, ainda, é o Juiz. Criado em 1987, no curso dos meus longos quatro anos de concurso, a técnica sentencial dialética tem ajudado aos Juizes desde a sua preparação para a profissão até a sua efetiva atuação como prolator de sentenças. Vem sendo um instrumento de apoio no trabalho de vários colegas, entre eles: JUIZA CLÁUDIA REGINA VIEIRA BARROSO, Titular da Vara de Petrópolis, no Rio de Janeiro, e professora universitária; JUIZ ALEXANDRE AGRA BELMONTE – professor universitário – Diretor da Faculdade de Direito da UniverCidade e e Juiz da Vara Trabalhista do Rio de Janeiro e JUIZA CLÁUDIA CARDOSO DE SOUZA, do Tribunal Regional do Trabalho do Espírito Santo.

    • Local de realização

      Rio de Janeiro (Capital e Friburgo)

    • Abrangência da Prática

      Rio de Janeiro - Espírito Santo