Homenageada | Autor(es): TSE
Ana Cristina Rosa | Categoria: Tribunal | Cidade: -

TSE contra Fake News

Prática Homenageada

Autor(es): Ana Cristina Rosa

Categoria: Tribunal

Estado: -- - --

Link de Vídeo
Descrição resumida

Para combater informações falsas que confundiam o eleitor e atrapalhar o processo eleitoral, o TSE desenvolveu campanha voltada ao esclarecimento. Com base na atuação de um Comitê de Contrainformação formado por servidores da ASCOM, da AGEL e da STI para monitorar e esclarecer notícias falsas, foi implementada ação de comunicação integrada que gerou os seguintes produtos: 1. Página web para Esclarecimentos sobre informações falsas 2. 14 videos e spots de rádio de até 1 minuto, em linguagem simples e direta 3. Parceria com instituições públicas (CNJ, MPF, PF, AGU, entre outras) 4. Parceria com agências de fact checking e redes sociais (Facebook, Twitter, Google, Instagram) 5. Publicações coordenadas em diferentes plataformas e aplicativos de mensagem (Whats App) Com o engajamento dos Tribunais Regionais Eleitorais, a Justiça Eleitoral agiu de forma conjunta na disseminação de conteúdo esclarecedor, diante de supostas denúncias de fraudes e falhas durante as eleições. Ao usar o mesmo canal onde as informações falsas eram difundidas, a Justiça Eleitoral pode levar informações corretas, apuradas com rigor e seriedade, para enfrentar e combater a desinformação. Ou seja: a mentira foi enfrentada com a verdade.

Explique como sua prática contribui para o aperfeiçoamento da justiça.

No entendimento da Justiça Eleitoral, a divulgação de informações corretas, apuradas com rigor e seriedade, é a melhor maneira de enfrentar e combater a desinformação.

Desde quando sua prática está em funcionamento?

Data: outubro/2018

Qual a principal inovação da sua prática?

As eleições de 2018 foram marcadas pelas Fake News. O TSE foi o primeiro Tribunal a fazer uma grande campanha de comunicação com o intuito de esclarecer e minimizar os impactos das notícias falsas.

Explique como ocorreu o processo de implantação da prática.

Com base na atuação de um Comitê de Contrainformação formado por servidores da ASCOM, da AGEL e da STI para monitorar e esclarecer notícias falsas, foi implementada ação de comunicação integrada que gerou os seguintes produtos: 1. Página web para Esclarecimentos sobre informações falsas 2. 14 videos e spots de rádio de até 1 minuto, em linguagem simples e direta 3. Parceria com instituições públicas (CNJ, MPF, PF, AGU, entre outras) 4. Parceria com agências de fact checking e redes sociais (Facebook, Twitter, Google, Instagram) 5. Publicações coordenadas em diferentes plataformas e aplicativos de mensagem (Whats App) Com o engajamento dos Tribunais Regionais Eleitorais, a Justiça Eleitoral agiu de forma conjunta na disseminação de conteúdo esclarecedor, diante de supostas denúncias de fraudes e falhas durante as eleições.

Quais os fatores de sucesso da prática?

Ao usar o mesmo canal onde as informações falsas eram difundidas, a Justiça Eleitoral pode levar informações corretas, apuradas com rigor e seriedade, para enfrentar e combater a desinformação. Ou seja: a mentira foi enfrentada com a verdade.

Quais as difuldades encontradas?

Alcançar todo o eleitorado brasileiro. As notícias falsas são divulgadas com muita rapidez pelas redes sociais.

Descreva resumidamente as atuais etapas de funcionamento da prática.

Infraestrutura

Equipe

ASCOM – Núcleo TV: Ana Paula Ergang, Adriana Bianchini, Aldair Alves Gomes, Alessandra Moreira, Eliésio Rodrigues da Silva, Francisco Milton Santos, Halison de Freitas Silva, Izaque Oliveira Cavalcante, Jefferson de Andrade Rocha, José Edmilson Souza, Rogério Brandão de Carvalho, Marnie Guimarães Ruas, Mauro Paulo Roberto da Rocha Paz, Rachel Vargas, Rafael do Nascimento Pinheiro, Rafael Gonçalves de Menezes Rocha, Rafael Gonçalves Machado, Roberta Boni, Thiago de Miranda Gomes e Weslan Barros de Sousa ASCOM – Redes sociais: Rakell Dimanski Outras áreas envolvidas: Thiago Fini – Assessoria de Gestão Eleitoral (AGEL); Adriana Silva – Secretaria de Tecnologia da Informação (STI)

Outros recursos

Não foram usados.

Parceria

Equipamentos e sistemas

1. Página web para Esclarecimentos sobre informações falsas 2. 14 videos e spots de rádio de até 1 minuto, em linguagem simples e direta 3. Parceria com instituições públicas (CNJ, MPF, PF, AGU, entre outras) 4. Parceria com agências de fact checking e redes sociais (Facebook, Twitter, Google, Instagram) 5. Publicações coordenadas em diferentes plataformas e aplicativos de mensagem (Whats App)

Orçamento

Recursos próprios.

Parceiros Institucionais

Apoio